Uma dica anti stress

Mude a forma de enxergar as situações

Tempo de leitura estimado: 10 minutos.

Você está estressado – por seus prazos, responsabilidades, sua carga de trabalho cada vez maior e sua vida, em geral. Se você é como eu, ainda enfatiza o quanto de estresse está sentindo – preocupando-se que esteja interferindo em seu desempenho e tirando anos de sua vida.

“O estresse nem sempre é prejudicial”, afirmou Kelly McGonigal, professora da Stanford. Segundo ela, se as pessoas modificarem o conceito de estresse, elas podem tornar-se mais fortes, inteligentes e felizes”.

O Stanford News Service entrevistou McGonigal, que recentemente publicou um novo livro sobre o assunto. Saiba mais neste site.

A pesquisa inicial sobre as mentalidades do estresse, que foi conduzida pela professora assistente de Psicologia de Stanford, Alia Crum, mostrou que a visão do estresse como uma parte útil da vida, em vez de prejudicial, está associada a uma melhor saúde, bem-estar emocional e produtividade no trabalho – mesmo durante períodos de alto estresse.

Enxergar o estresse como prejudicial, leva as pessoas a lidarem com ele de maneiras menos úteis, como beber para “liberar” o estresse, procrastinar para evitá-lo ou imaginar os piores cenários. Em contraste, a visão mais positiva do estresse parece encorajar as pessoas a lidar de forma a ajudá-las a prosperar.

Ao pesquisar para o livro, a professora da Stanford descobriu que a mentalidade mais útil para o estresse é aquela que o encara como uma reação positiva. As três crenças mais favoráveis sobre o estresse são:

  1. Ver a resposta ao estímulo do seu corpo como útil, não debilitante – por exemplo, ver o estresse como uma energia que você pode usar;
  2. Enxergar-se como capaz de lidar, e mesmo aprender e crescer, com o estresse em sua vida;  
  3. Ver o estresse como algo com o qual todo mundo tem que lidar, em vez de achar que é algo exclusivo e que comprova como sua vida é terrível.

As pesquisas que estudam as mentalidades do estresse mostram que é possível mudar todas as nossas atitudes, mesmo que estejamos habituados a pensar que o estresse é prejudicial.

Por exemplo, quando você sente seu coração batendo de ansiedade, encare da seguinte forma: seu corpo está tentando lhe dar a energia necessária para enfrentar o desafio.

Alterar qualquer uma dessas atitudes pode ajudá-lo a prosperar diante do estresse comum, bem como do estresse crônico ou traumático.

Veja mais detalhes na entrevista a seguir (ativar legendas):

 

 

Há uma razão pela qual o estresse tem uma má reputação, e parte dela é a evidência de que o estresse crônico e traumático pode aumentar o risco de doença, depressão e mortalidade precoce, entre outras coisas.

Escolher ver o lado oposto do estresse não é negar o fato de que o estresse pode ser prejudicial. Trata-se de tentar equilibrar sua mentalidade para que você se sinta menos aturdido e sem esperança quanto ao fato de sua vida ser estressante.

Nós raramente conseguimos fugir do estresse em nossas vidas, e não é realista pensar que podemos evitá-lo. Dado que a vida vai ser estressante de qualquer forma, o que você ganha ao se concentrar no medo de que a realidade de sua vida esteja levando-o a morte?

Os psicólogos descobriram que a capacidade de modificar a visão sobre o estresse exige uma alta tolerância à ambiguidade e à incerteza. Você deve entender que duas coisas aparentemente opostas podem ser verdadeiras ao mesmo tempo.

Pode ser verdade que passar por algo estressante pode deixá-lo doente ou deprimido, mas também pode ser verdade que a mesma experiência estressante pode torná-lo mais forte, mais compassivo e mais resiliente, ao longo do tempo.

A relação entre estresse e a forma de encará-lo é bem fácil de entender. Um estudo de 2013 solicitou uma ampla amostra nacional de adultos nos Estados Unidos para avaliar o quanto eles concordavam com a declaração: “No âmbito geral, sinto que minha vida é significativa”.

Os pesquisadores, então, examinaram o que distinguiam as pessoas que concordavam fortemente com a declaração de quem não o fazia. Surpreendentemente, as pessoas que tiveram o maior número de eventos de vida estressantes no passado provavelmente considerariam suas vidas significativas. As pessoas que disseram que estavam sob muito estresse no momento atual também classificaram suas vidas como mais significativas.

Uma das principais conclusões dos pesquisadores a partir deste estudo é: “Pessoas com vidas muito significativas se preocupam mais e têm mais estresse do que pessoas com vidas menos significativas”.

Em vez de ser um sinal de que algo está errado com a sua vida, sentir-se estressado pode ser um barômetro para o quão comprometido você está em atividades e relacionamentos que são, pessoalmente, significativos.

Você imaginava a possibilidade de existir o lado positivo do estresse? Gostaria que eu abordasse mais algum aspecto desse assunto? Deixe seus comentários. Confira mais aqui no meu site!

Ana Paula

Ana Paula

Utilizo da minha formação de mais de 20 anos e de minha prática clínica para ajudar pessoas que estão em sofrimento ou que precisam de alguma ajuda emocional.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *