Políticas públicas para saúde e transporte

Uma proposta é a criação de um aplicativo no celular.

O Ministério da Saúde está com a meta de todas as Unidades Básicas de Saúde, porta de entrada do SUS e mais próximas da população estejam informatizadas até o fim de 2018 porém não existe projeto aprovado para implementar um aplicativo de celular para facilitar a vidado paciente.

A adesão ao sistema eletrônico traz benefícios na qualificação do atendimento, evitando repetição de exames e encaminhamentos desnecessários, além do maior controle do gasto público. Um estudo do Banco Mundial estima economia de R$ 22 bilhões por ano com a maior eficiência neste atendimento.

Atualmente, 64% das Unidades Básicas de Saúde (UBS) não utilizam prontuário eletrônico, equivalente a 27,3 mil serviços. Pelo projeto, todas as unidades poderão ser contempladas, inclusive com apoio de custeio para a manutenção dos serviços digitais já oferecidos.

Com o aplicativo digital, todos os locais de serviços de saúde do país poderão acompanhar histórico, dados e resultado de exames dos pacientes e verificar em tempo real a disponibilidade de medicamentos ou mesmo registrar as visitas de agentes de saúde, melhorando o atendimento ao cidadão.

A proposta para é a criação de um aplicativo no celular para marcação de consultas e exames, localização de UPA para atendimento mais próximo, atendimento domiciliar, identificação de médicos e profissionais responsáveis na hora de sua consulta ou nos plantões de emergência.

 

Outra é a criação do metro em substituição ao trem linha 9 Esmeralda

 

A linha 9 Esmeralda estende-se por 32,8 quilômetros de Osasco a Grajaú, passando por dezoito estações. Sendo implantado um metrô do Grajaú até Osasco o tempo estimado do percurso seria em média de 35 minutos, estimativa obtida a partir do tempo médio de percurso da linha amarela 4 do metrô. A linha 9 Esmeralda da CPTM realiza esse trajeto em 53 minutos nos horários normais e em 60 a 70 minutos no horário de pico.

Essa diferença de tempo para percorrer o mesmo trajeto se deve ao fato da velocidade média do trem oscilar muito de 20 a 70km/h enquanto o metro tem velocidade constante de 80 a 90km/h. Adicionado a esse fator velocidade tem o da oferta de trem que é três vezes menor do que a de metrô. Enquanto o trem passa de 7 em 7 minutos o metrô de 2 em 2 minutos.

A título de comparação em um intervalo de 1h e 10 minutos passam na estação Santo Amaro 10 trens, enquanto poderiam está passando 30 metrôs no mesmo intervalo de tempo, já que os intervalos do trem são o triplo em relação ao metrô.

Um metrô zona sul desafogaria o fluxo de passageiros de forma a evitar e até extinguir o transporte abarrotado de pessoas na linha 9 esmeralda da CPTM.

Você pode obter maiores informações sobre as fontes e informações sobre todos os projetos que estão sendo desenvolvidos acessando www.claudiaabreu.com, lá você também consegue você encontra maiores informações sobre as propostas políticas.

Claudia Abreu

Claudia Abreu

Economista com dupla especialização: tecnologia e sistemas de qualidade pela USP. É filha de Dorival Abreu, fundador do PTN, que após 21 anos foi renomeado para Podemos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *