Tenho certeza que todos que estão lendo esse artigo tem algum amigo ou conhecido que em algum momento tentou lhe convencer a comprar bitcoins ou alguma criptomoeda, exaltando como seria um investimento fácil que renderia muito, ou que varia a pena por que é a tecnologia do futuro.

No meu caso essa tentativa funcionou e eu investi uma boa parte do meu salário logo antes do valor. Porém, mesmo com o passar do hype, as tecnologias por trás das criptomoedas, o Blockchain, continua extremamente interessante e ainda promete trazer grandes mudanças para a nossa sociedade. Não é a toa que os maiores bancos do mundo, como Goldman Sachs, ICBC (Banco Industrial e Comercial da China) e JPMorgan estão investindo nessa tecnologia.

Mas o que é e como funciona a tecnologia de Blockchain?

Bom, resumidamente, o blockchain é uma tecnologia de registro distribuído que visa a descentralização como medida de segurança. Para entender o que isso quer dizer acho mais fácil explicar primeiro como funcionam as transações sem a tecnologia de Blockchain.

Normalmente, quando se faz uma transferência de dinheiro por exemplo, é necessário que uma organização terceira, como um banco, tome registro do que está acontecendo para garantir a segurança da transação. Ou seja, ele registra quanto dinheiro saiu da sua conta e quanto entrou na conta da outra pessoa, que horário foi feito a transação e quanto sobrou na conta dos dois indivíduos.

O que a tecnologia de blockchain faz é acabar com a necessidade de existir este terceiro, pois o sistema de blockchain descentraliza a responsabilidade de registrar. É como se todos os computadores que estão rodando o algoritmo de blockchain tivessem o livro-razão que registrou essas transações. Então, no momento em que você faz a transação, todos os registros são informados e atualizados instantaneamente.

Um dos principais benefícios desta tecnologia é que ela garante a segurança dos dados, pois caso algum indivíduo queira agir de má fé e alterar o registro de quanto ele tem na conta, seria necessário que ele alterasse todos os computadores que estão rodando o programa ao mesmo tempo, o que é impossível. Sabe aquele ditado “não se deve colocar todos os ovos na mesma cesta”, então é basicamente a mesma ideia. Desta maneira todas as informações sobre as transações são simultaneamente completamente seguras e transparentes.

O primeiro uso desta tecnologia foi a criação de moedas digitais, como o Bitcoin, Ethereum e Ripple, mas ela tem um potencial que vai muito além das transações financeiras. Especialistas, por exemplo, dizem que esta mesma tecnologia poderia ser usada para impedir fraude em eleições, já que ele garantiria que o sistema que contabiliza os votos fosse transparente e inalterável. Existem também companhias como o Carrefour que querem utilizar esta tecnologia para armazenar os dados logísticos de seus produtos, garantindo a qualidade e procedência de seus produtos.

O potencial desta tecnologia ainda é incerto e especialistas na área dizem que o blockchain estará presente no dia-a-dia de todos nós no futuro. No entanto, no momento só espero que meus bitcoins voltem a valer alguma coisa.

Caso você tenha interesse em saber mais sobre essa tecnologia e suas aplicações, assista no link abaixo o sexto episódio de BatPapo, em que eu falo com Nicolas Vaz, um dos fundadores do Blockchain INSPER para falar sobre o assunto.


O objetivo do BatPapo é abordar assuntos que muitas vezes não são explorados pela mídia convencional, ou não de uma maneira satisfatória, em um formato mais livre que permita que o convidado tenha espaço para desenvolver suas ideias. Caso você tenha interesse em conteúdo neste formato se inscreva no canal!

About Batpapo

Confira novidades escritas por Vitor M, apresentador e fundador do canal Batpapo que semanalmente recebe convidados especialistas em temas como política, entretenimento e tecnologia.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *