Ética para um dia feliz

Seguir uma vida ética para ser mais feliz

Tempo de leitura estimado: 10 minutos.

A ética é quase tão antiga quanto o início da civilização humana sendo uma filosofia que visa o estudo das questões morais, das normas e dos valores que motivam, distorcem, disciplinam ou orientam o comportamento humano.

De origem grega, a palavra ética deriva de ethos, e significa os costumes e os hábitos dos homens. De modo geral, ela trata das reflexões que são feitas acerca dos valores sociais, tanto no âmbito social, como também individual.

As pessoas começaram a pensar e refletir sobre os valores éticos na cultura ocidental, mais especificamente na Antiguidade Clássica, e os primeiros grandes filósofos a citarem a ética em seus estudos e livros, foram Sócrates, Platão e Aristóteles.

Nosso caráter, desejos e vontades sofrem muita variação e são alvos de grande ambigüidade e incerteza, ou seja, toda essa inconsistência transformaria nossa vivência social em um enorme caos, pois sem os valores e moral que nos guiam seria impossível viver em sociedade.

Pode-se dizer que indagamos sobre a ética quando pensamos e levantamos dúvidas do tipo: o que são ou de onde vem e do que valem os costumes que nos são ensinados e passados de geração em geração, de sociedade a sociedade, de cultura a cultura.

No livro “Convite à Filosofia” (2008), escrito por Marilena Chauí, ela diz que o Senso Moral nos faz avaliar a nossa situação e a dos outros de acordo com o que é bom, ruim, injustiça ou justiça.   Já a Consciência Moral é sobre as decisões que fazemos e se estamos seguindo ou respondendo a conduta que nós mesmos decidimos como certas ou erradas.

Assim, tanto o senso e consciência moral servem como guias e ajudantes no nosso processo de desenvolvimento, no plano profissional e educacional também. O que também acaba ajudando na nossa individualidade, pois nos isenta de ter uma postura passiva quanto às influências que recebemos a todo o momento do mundo externo.

Porém, a ética não diz respeito apenas a conduta humana ou nosso desejos. Hoje em dia encontramos diversas discussões acerca do que é ético ou não nos ramos da: saúde, ciência, tecnologia, profissão e educação.

Até mesmo atos banais como: piratear, “copiar e colar”, usar fotos ou apelidos para demonstrar anonimato, estão presentes no cotidiano de todos e recebem perguntas e críticas de até aonde isso é considerada uma atitude antiética.

Então, é necessária uma discussão profunda sobre o que são atitudes éticas ou antiéticas em todos os meios.

 

Ética e tecnologia

O que é tecnologia? Ao fazer esta pergunta, logo provavelmente a primeira resposta que vem em nossa cabeça são equipamentos, celulares ou robôs super modernos que são capazes de tudo, desde um holograma em 3D até funções vistas em filmes como inteligência artificial.

Mas a verdade é que um simples celular hoje em dia seria considera uma tremenda tecnologia na Idade Média, podendo até ser considerado uma bruxaria, e uma simples lâmpada no século XIX seria vista como um milagre.

Ou seja, tecnologia não precisa ser necessariamente algo moderno ou espetacular. Ela segue a humanidade desde o início da civilização. Por exemplo, quando os caçadores descobriram que os ossos de animais mortos poderiam virar uma arma, pronto, uma nova tecnologia foi criada.

Porém, junto com a tecnologia, que muda todos os dias, cada vez mais é discutido a questão ética que paira sobre diversos avanços que ela proporciona.

Algumas questões que são levantadas:

  • Tecnologia na guerra
  • Modificação genética
  • Vigilância em tempo real

É comum acharmos que a tecnologia será sempre algo bom para a humanidade, porém pode não ser verdade em todos os casos. Já ouviu falar sobre drones? Alteração genética? Impressão 3D? Vigilância em tempo real? Talvez sim, talvez não, mas de modo geral, muitas pessoas não têm noção do que cada uma destas realidades significa.

Os drones foram criados para servirem como um substituto para os soldados nas guerras. Usado principalmente pelos EUA no Oriente Médio, eles viraram na verdade o pesadelo de muitos civis que vivem assombrados por drones que rodeiam e voam no céu da sua casa.

Mas, o humano é imperfeito, assim como são os drones e muitos acidentes têm sido reportados para as autoridades, como: a morte de inocentes ou perseguições das pessoas erradas. O quão antiético é utilizar de máquinas que não possuem sentimento de culpa ou discernimento do que é certo ou errado para atuar em guerras e campos com civis? Deixarei essa questão para você refletir.

A era moderna ficou marcada pela frase de Descartes, que dizia que a ciência e a técnica irão transformar o homem em senhor e possuidor da natureza. Podemos observar e estudar isso acontecer agora que cientistas de todo o mundo se empenham em conseguir fazer alterações e melhorias na genética. O quão errado é, por exemplo, um pai ou mãe poder escolher a cor dos olhos, cabelo e pele de um filho? Ou, então, decidir quais doenças genéticas poderá excluir? Ou ainda, poder escolher que tipo físico gostaria que seu filho tivesse?

Falando sério, agora, quem nunca colocou o endereço da própria casa no Street View do Google Maps para ver as imagens? Ou então, colocou o endereço de alguma loja ou local que gostaria de visitar? Parece algo sem muita importância, mas e se essas imagens fossem atualizadas em tempo real, e você pudesse acompanhar os passos de qualquer pessoa? Seria como viver em um reality show.

Porém, estas imagens seriam públicas ou privadas? E como seria a proibição ou não dessas imagens? Empresas como o Google, Planet Labs, Skybox Imagine e Digital Globe está trabalhando cada vez mais para terem esse poder.

São questões como essas que nos fazem pensar até onde a tecnologia deve alcançar e até onde ela deve interferir e fazer parte do nosso dia a dia. E, se pensávamos que essas discussões só iriam acontecer daqui a muitos anos, se enganou. Ela está bem aí na sua porta.

Ética na profissão e educação

Falar sobre ética na profissão e na educação pode parecer um pouco óbvio. No entanto, é certo que muitos profissionais ou estudantes acabam cometendo deslizes antiéticos que passam despercebidos, e quando são notados, não é dada a devida atenção que merece. Por isso é importante saber o que pode e o que não pode no seu ambiente de trabalho ou de estudo para que gafes não sejam cometidas.

Uma área atualmente que é muito reconhecida é o TI, que seria Tecnologia da Informação. Muitas empresas dão treinamento visando à disseminação de dicas importantes de como seguir um comportamento ético.

Questões como: violação da privacidade, uso autorizado de informações, fraudes e exposição de informações sigilosas, faz parte do dia a dia de qualquer empresa, seja ela grande ou pequena.

É necessária uma atenção e cuidado muito grande quando se tratam de fofocas, intrigas e brigas no ambiente do trabalho. Por isso a criação de códigos de éticas entre os membros e usuários de uma instituição ou empresa serve como um norteador moral e garante a integridade, respeito e dignidade de qualquer um que trabalhe neste meio.

Na educação, por outro lado, não é tão diferente assim. Professores, diretores, coordenadores e alunos podem ter o mesmo treinamento oferecido em uma empresa. Em uma escola ou faculdade, por exemplo, são muitas informações pessoais que estão em jogo, fora toda a rede de pessoas que ali se encontram que facilitam em muito as fofocas, intrigas e brigas da mesma forma que acontece em empresas.

Alguns exemplos básicos e simples que acontecem no ambiente de trabalho são:

  • Levar para casa e mostrar para os moradores as informações sigilosas da empresa.
  • Sair da área de trabalho, como a mesa do computador, e não bloquear a tela com senha.
  • Compartilhar senhas e usuários com outros funcionários.
  • Denegrir a imagem da empresa para pessoas de fora ou até mesmo de dentro.
  • Utilizar de canetas ou celulares em locais que há muitas informações pessoais de clientes, como bancos, empresas de cartão de crédito e todo o segmento de vendas.

Exemplos básicos no ambiente escolar e educacional:

  • Trabalhos escolares que são feitos na base de “copiar e colar”.
  • Prática de bullying.
  • Colar do colega ou ter uma cola própria nas avaliações.
  • Professores que tratam com desrespeito os alunos ou dão preferências.
  • Exposição do aluno, professor, ou diretor por uma autoridade maior na frente de todos.

Há muitos outros exemplos que poderia ser citado aqui. A questão é que ser ético não exige um manual de instrução, já que basta se fazer três perguntas importantes: minha ação vai prejudicar alguém? Minha ação vai denegrir uma pessoa ou empresa? Minhas ações pelos moldes sociais impostos são considerados certos ou errados?

Não é difícil e nem deveria ser possuir boa ética profissional, social e educacional no dia a dia.

Ética no dia a dia

Agora, se a gente for falar de atitudes antiéticas que cometemos no dia a dia, seria necessário quase um livro inteiro sobre o assunto. Mas algumas práticas, consideradas as mais comuns, podem ser eliminadas ou melhoradas e assim seremos mais felizes quando atitudes éticas forem adotadas.

Quem nunca: pensou em/ou cortou uma fila? Recebeu troco a mais e não devolveu? Achou algo perdido no chão, no ônibus ou em uma festa e não devolveu ou nem foi atrás para saber quem era o dono? Sentou em um local reservado para idosos ou gestantes?

É certo que talvez, por um breve momento, pensemos que essas pequenas atitudes não irão afetar ou prejudicar alguém. Mas cortar uma fila invalida toda a concepção de que quem chega primeiro é atendido primeiro, então, do que adianta termos leis e padrões a seguir? Ou um troco a mais que foi dado e você não devolveu pode acabar na demissão do funcionário. E Até mesmo aquele objeto perdido que achou, poderia ser muito importante para quem perdeu. E por fim: haverá um dia em que você será idoso ou será idosa e demonstrar respeito desde já, é o mesmo que demonstrar respeito com si mesmo.

Outra questão é o bullying no dia a dia ou brincadeiras que passam do limite e que podem levar algumas pessoas a pensarem que tais comportamentos não os afetariam, porém a ética é exatamente isso. É termos plena noção do que pode ou não afetar as pessoas ao nosso redor, e o mais importante, é sabermos que cada realidade é diferente. Cada pessoa é diferente e cada história é diferente. Antes de tudo, saiba que o que te afeta pode não afetar outra pessoa, e o que afeta outra pessoa pode não te afetar.

É preciso ter um bom julgamento e discernimento de tudo e todos ao nosso redor e assim poderemos viver em uma sociedade em que o respeito ao próximo é mais importante do que satisfazer nossos próprios desejos e ensejos.

Um ótimo exemplo de comportamento ético é do piloto Chesley Sully Sullenbeger, cuja história foi mostrada no filme “Sully – O herói do Rio Hudson”. É abordado no filme o drama real que aconteceu em 2009. Um avião, que acabara de decolar, é atingido por pássaros e seus motores são danificados. Com 155 pessoas a bordo, e em cima de uma cidade com milhões de pessoas. O dilema: onde fazer um pouso de emergência? O que escolher entre salvar as pessoas a bordo e destruir casas, prédios e provavelmente ferir milhares de pessoas ou pousar em um rio e ter a possibilidade de ferir todos a bordo? Uma questão ética enorme que Sully encara com coragem, esperteza e acima de tudo: com um senso ético e moral inabalável.

Muitas outras atitudes, como: ser honesto, tolerante, flexível, íntegro, humilde são qualidades fundamentais para quem busca ter uma carreira de sucesso, para quem busca ser reconhecido e para quem busca ser influente e exemplo a ser seguido.

No geral, buscar sempre o bem das pessoas ao seu redor, mesmo que implique com suas aspirações, te garante um comportamento ético e moral que há de ser respeitado, elogiado e reconhecido.

Ana Paula

Ana Paula

Utilizo da minha formação de mais de 20 anos e de minha prática clínica para ajudar pessoas que estão em sofrimento ou que precisam de alguma ajuda emocional.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *